Previdência Social

View this post on Instagram

O MSTTR encontra-se no momento mais desafiador de sua trajetória, no cenário social atual temos nos deparado com um novo inimigo mais difícil de derrotar, a Codid-19, este vírus surpreendeu a toda sociedade e foi o único inimigo, até hoje, que nos fez vez recuar de maneira inteligente para que possamos em breve retornarmos todos e todas fortes, com saúde e com maior vigor para podermos avançar na luta de enfrentamento às novas conquista para a vida do Trabalhador Rural Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Sergipe. Nós que fazemos o MSTTR temos recuado, evitado as ações de massa nas ruas, pois entendemos que um dos eficazes remédios recomendado, pela OMS, para derrotar o novo corona vírus é evitar aglomeração, no entanto temos lutado com outras armas, temos usado os meios virtuais para ‘gritar’ e denunciar as constantes violências que os povos do campo, das florestas e das águas tem sofrido. Neste momento novo temos nos reinventado e usado as tecnologias ao nosso favor, mesmo com as dificuldades de acesso nas comunidades mais remotas temos buscado estar próximos, pois o isolamento social nos deixou isolados e não sozinhos, somos muitos, somos grandes, somos aguerridos. Diante do exposto a FETASE juntamente com sua diretoria em especial com a secretaria de Políticas Sociais tem entendido este momento como preocupante e desafiador, no entanto tem continuado buscando meios de solucionar as demandas dos seus filiados e filiadas. A previdência sempre foi um tema que apresentou maior demanda e penalizado os nossos trabalhadores e trabalhadoras rurais agricultores e agricultoras familiares. Antes da pandemia não era fácil o acesso aos benefícios previdenciários e o atendimento dos segurados/as pelo INSS já era bastante precário, com milhares de pedidos de benefícios represados, pendentes de análise. Com a pandemia piorou a vida do segurado/a por diversos fatores entre eles com o fechamento das APS’s que acarretou maior indeferimentos, muitas das vezes indevidos, e agora com a reabertura das agências os prejuízo permanecem. A falta de servidores nas agências do INSS e com a aglomeração de processos a serem avaliados tem feito o segurado e segurada espe

A post shared by Fetase (@fetaseoficial) on

O MSTTR encontra-se no momento mais desafiador de sua trajetória, no cenário social atual temos nos deparado com um novo inimigo mais difícil de derrotar, a Codid-19, este vírus surpreendeu a toda sociedade e foi o único inimigo, até hoje, que nos fez vez recuar de maneira inteligente para que possamos em breve retornarmos todos e todas fortes, com saúde e com maior vigor para podermos avançar na luta de enfrentamento às novas conquista para a vida do Trabalhador Rural Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Sergipe.
Nós que fazemos o MSTTR temos recuado, evitado as ações de massa nas ruas, pois entendemos que um dos eficazes remédios recomendado, pela OMS, para derrotar o novo corona vírus é evitar aglomeração, no entanto temos lutado com outras armas, temos usado os meios virtuais para ‘gritar’ e denunciar as constantes violências que os povos do campo, das florestas e das águas tem sofrido. Neste momento novo temos nos reinventado e usado as tecnologias ao nosso favor, mesmo com as dificuldades de acesso nas comunidades mais remotas temos buscado estar próximos, pois o isolamento social nos deixou isolados e não sozinhos, somos muitos, somos grandes, somos aguerridos.
Diante do exposto a FETASE juntamente com sua diretoria em especial com a secretaria de Políticas Sociais tem entendido este momento como preocupante e desafiador, no entanto tem continuado buscando meios de solucionar as demandas dos seus filiados e filiadas.
A previdência sempre foi um tema que apresentou maior demanda e penalizado os nossos trabalhadores e trabalhadoras rurais agricultores e agricultoras familiares. Antes da pandemia não era fácil o acesso aos benefícios previdenciários e o atendimento dos segurados/as pelo INSS já era bastante precário, com milhares de pedidos de benefícios represados, pendentes de análise. Com a pandemia piorou a vida do segurado/a por diversos fatores entre eles com o fechamento das APS’s que acarretou maior indeferimentos, muitas das vezes indevidos, e agora com a reabertura das agências os prejuízo permanecem. A falta de servidores nas agências do INSS e com a aglomeração de processos a serem avaliados tem feito o segurado e segurada especial penar. Estes trabalhadores sofreram durante toda sua vida contribuindo para a construção e riqueza deste País confiantes em conseguir com facilidade seus direitos previdenciários e na hora de adquirir há a frustração, não podemos esquecer que este é o público, os trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares quem tem garantido mais de 70% dos alimentos para a sociedade.
Contudo, a FETASE reafirma que o conjunto da diretoria em especial a Secretaria de Politicas Sociais tem se empenhado diuturnamente em buscar estratégias para melhoria do Movimento sindical de modo que toda classe saia fortalecida deste momento que estamos vivendo.
“…não podemos perder a fé e tentar buscar melhorias para os nossos agricultores e agricultoras familiares…”
(Sônia Cristina)

FONTE: Assessoria da Secretaria de Políticas Sociais da FETASE.

Seja o primeiro a Comentar

Comente